quarta-feira, 7 de novembro de 2012

QUEM É DEUS

QUEM É DEUS
Amor
Lendo a Bíblia chegamos a esta profunda questão de: Quem é Deus? Embora nosso próprio temor nos afaste imediatamente de questionarmos quem Ele é, nas Escrituras encontramos uma resposta! Seria impossível crer que dentro de toda revelação, não houvesse uma única afirmação revelando quem é o Senhor! Além disso, é fácil notar que a medida que ignoramos em conhecê-lo nos afastamos da sua verdade.
O apóstolo João afirma: “Aquele que não ama, não conhece a Deus, porque Deus é caridade” (ou amor)
Então em resumo podemos responder a esta pergunta: Quem é Deus? Deus é amor!
O apóstolo não disse: Deus tem amor. Ou Deus é bastante amoroso. Ele disse: Deus É (existe) amor! Em essência nosso Senhor é amor! Esse é o nosso Deus!
Quando passamos a conhecer alguém mais intimamente normalmente nos referimos a ela pela sua principal característica. Fulano é ansioso; Tal pessoa é animada. Desta forma, sabemos que Deus não é somente constituído por amor. Há também sua Justiça, Santidade, etc. Mas em essência podemos responder que Deus é amplamente conhecido por Amor. Isso nos leva diretamente para 1º Cor. 13.
Este capítulo singular trata do inicio ao fim sobre o amor.
Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos e não tivesse caridade, seria como o metal que soa ou como o sino que tine”, v. 01.
Logo após esta introdução o apóstolo Paulo faz uma descrição do que é o amor. E ele é:
- Sofredor
- Benigno
- Não é invejoso
- Não é leviano
- Não é soberbo
- Não é indecente
- Não é interesseiro
- Não se irrita
- Não suspeita mal
- Não é injusto, mas é verdadeiro
- Tudo sofre
- Tudo crê
- Tudo espera
- Tudo suporta
- Nunca falha
Eu poderia ficar horas e horas discutindo sobre a tradução do termo Ágape, que é o termo grego traduzido neste capítulo para significar amor. Mas de uma forma bastante objetiva, não seria nenhum absurdo interpretarmos 1º Cor. 13 como o próprio Deus! Veja:
Deus é: Sofredor… Benigno… Justo… Tudo sofre… Tudo crê… Tudo espera… Tudo suporta…
Esta é uma das faces do Senhor!
Imaginem só! Humanamente falando parece impossível acreditar que Deus sofre. Como por exemplo, Deus poderia sofrer? Quando depositamos os nossos pecados diante dos seus olhos todos os dias! (Salmo 90)
Quando o rei Salomão estava construindo o templo ao Senhor ele chegou a esta profunda compreensão: “Habitaria Deus na terra? Eis que os céus e até os céus dos céus não te poderiam conter” (1º Rs 8.27). Em resumo Salomão compreendeu que nem sequer o Universo suporta Deus! Imagine só! Sabemos que o universo está em expansão, milhares e milhares de estrelas, galáxias, e ainda sim em todo este espaço não “cabe” por assim dizer o nosso Deus!
Este mesmo Senhor, sendo infinitamente maior do que possamos imaginar, Sofre por criaturinhas tão minúsculas como nós! Espera por criaturas como nós! Nos Suporta quando viramos as costas para Ele! E ainda Crê sem suspeitar o mal que voltaremos para Ele!
Ira
Em contrapartida encontramos esta afirmação no Evangelho segundo João: “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna, mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece” Jo 3.36
Este mesmo Deus amoroso precisa ser Justo. Algumas pessoas acreditam que quando Deus perdoa os pecados ele simplesmente os lança detrás de si e os ignora. Jamais! Sim, ele disse que não se lembraria mais dos nossos pecados (Hb. 10.17), mas de que forma ele faz isso? Através de Jesus Cristo!
Pense bem, se Deus simplesmente deixasse para lá os nossos pecados em virtude do seu amor, quem seria o primeiro a acusa-lo de injustiça? Satanás! Por isso ele precisa ser justo! Deus precisou primeiro nos reconciliar consigo próprio através de seu filho (2º Cor. 5.18,19). E desta forma podemos dizer, que aquele que não está escondido em Cristo, está sobre a ira de Deus! Aquele que não vive em Cristo, está debaixo da ira de Deus. Por mais complexo que isto pareça é verdade! Jeremias em suas lamentações concluiu que a causa de não sermos consumidos é a infinita misericórdia de Deus. No Salmo 78 está a afirmação de que com relação a Israel, por muitas vezes o Senhor desviou deles a sua ira e não os destruiu. O Senhor abomina o pecado. 1º Tessalonicenses 1.10 diz que seremos livres da ira futura. Se não estivermos em Jesus, o mediador entre Deus e os homens, certamente seremos participantes desta ira!
Irmãos um dia todos prestaremos conta perante Jesus Cristo (2º Cor. 5.10). Então vivamos o tempo da peregrinação aqui na terra a luz da Eternidade, tendo em vista este grande e terrível dia em que nos encontraremos em particular com o Sumo Pastor. Onde não haverá mais desculpas, e tudo estará patente em seu memorial.
Neste dia exibiremos nossas obras. Note bem: obras. O que fizemos. Não o que possuímos. Não faremos menção da nossa posição social, das nossas reservas de dinheiro, dos nossos bens, tampouco da nossa influência. E sim das obras! Quando praticamos a justiça, visitamos os enfermos, oramos pelos fracos e caídos, zelamos pela Palavra de Deus, então tudo isto será trazido a memória pelo Senhor!
Lembre-se que mesmo um Deus amoroso precisou acima de tudo satisfazer em primeiro lugar a sua justiça. Com relação a Cristo, Isaías profetizou que “ao SENHOR, agradou moê-lo” (Is. 53.10). O apóstolo Paulo disse aos coríntios “Aquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feito justiça de Deus” (2º Cor. 5.10). Em Jesus Cristo, o Filho de Deus, foram depositados todos os pecados da humanidade! Embora Ele fosse imaculadamente justo! Mas ele tomou as nossas ofensas, e as transformou em reconciliação com Deus!
Não temos que ter medo do Senhor! É desejo dele que todos os homens sejam salvos. Entretanto, não podemos perder de vista tamanha reverência que em alguns momentos nos falta perante a paciência de Deus.
Deus abençoe.
comente!

seu comentário é muito importante para nos,


Nenhum comentário:

Postar um comentário

;