Digite o que você procura aqui

Carregando...

sábado, 17 de setembro de 2016

Curiosidades: Quais são os sete líderes do Inferno, segundo a demonologia?


Segundo teorias demonologistas, estes são os líderes do Inferno (e causadores dos sete pecados capitais)

As ilustrações desta matéria são inspiradas na obra Dicttionaire Infernal, publicada em 1818, e que traz descrições e desenhos de 69 demônios.

Belzebu

Em 1589, o teólogo e bispo alemão Peter Binsfield associou cada demônioa um pecado. Este aqui causaria a gula. Sua imagem veio do deus da fertilidade Baal, idolatrado pelos cananeus, mas considerado um falso ídolo pelos cristãos. Textos de 1613 do inquisidor francês Sebastien Michaelis, porém, o consideram a origem do orgulho.

Mamon

O nome é aramaico e significa “riqueza”. Não por acaso, Binsfield o remete à avareza. Aparece em dois Evangelhos, de Lucas e Mateus. Neste último, é citado no versículo “Você não pode servir a Deus e a Mamon”, também traduzido, algumas vezes, como “Você não pode servir a Deus e ao dinheiro”. Não é mencionado por Michaelis.

Azazel

Binsfield dizia que esse era o líder de um grupo de anjos caídos que faziam sexo com mulheres mortais. Foi ele quem teria ensinado aos homens como fabricar armas de guerra – por isso, está ligado à ira. Michaelis discorda: ele propõe que esse pecado era causado pelo ex-príncipe dos querubins Baalberith, que transformava homens em assassinos.

Lúcifer

Para Binsfield, Lúcifer era o orgulho, já que foi sua soberba perante Deus que causou sua desgraça. Segundo Michaelis, ele seria também o líder da “primeira esfera” do inferno, reservada a ex-querubins, serafins e tronos. (Belzebu seria seu braço direito e segundo em comando).

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

6 sinais de que seu casamento está precisando de reformas


Quando falamos em problemas graves no casamento nada acontece de forma abrupta. Isso significa que não será de um dia para o outro, num picar de olhos, que as coisas ficarão monótonas, que a rotina prejudicial irá se instalar, que o casal passara a ter mais conflitos, brigas e problemas graves de relacionamento, etc. Os “desabamentos” dão sinais de alerta. Isso significa que sempre haverá a possibilidade de observar os sinais de alerta e intervir de forma a manter o casamento saudável, a reformá-lo para o bem do casal e da família. Os casais que têm casamentos abençoados são sempre vigilantes e percebem esses sinais e atuam diante deles de forma objetiva a fim de eliminar o que faz mal e cultivar o que faz bem.

Hoje vou citar seis sinais de alerta que você pode avaliar dentro de seu casamento. Se qualquer desses sinais fizer parte de seu casamento é hora de agir de forma efetiva e mudar as atitudes para mudar as situações. Deixar esses sinais crescerem é querer a destruição do casamento.

Sinais de que o casamento precisa de reformas

(1) Não conseguem dialogar produtivamente?

Vocês conseguem conversar sobre qualquer assunto? Um grande sinal que aparece em relacionamentos problemáticos é o isolamento comunicativo dos cônjuges. Não existe diálogo, as conversas ficam resumidas as coisas estritamente necessárias e o casal não sente prazer em compartilhar entre si suas vitórias, dores, derrotas, enfim, sentimentos e realizações ou mesmo aquele desejo de jogar conversa fora apenas para estar ao lado da pessoa. Se esse sinal está em seu casamento, é preciso conversar a respeito e provocar mais momentos de diálogo e olho no olho.

(2) O tratamento entre vocês é desrespeitoso?

Um outro grave sinal de que algo precisa ser feito dentro do casamento é quando o casal não se respeita, não se honra mutuamente. Só existem críticas e a maioria delas destrutivas, ofensivas e bem pouco amigáveis. Palavrões são usados com frequência? Vocês usam palavras duras, que ofendem, que diminuem a pessoa, que a compara com coisas ou pessoas externas? É hora de mudar o tom das palavras! O desrespeito nunca construiu nada de positivo em nossa vida!

(3) Não existem mais elogios e palavras educadas?

Seu cônjuge te elogia? Ele te diz obrigado, por favor? Te pede coisas amorosamente? Quando essas coisas começam a faltar significa que algo não está bom. O amor bem cultivado nos faz ser românticos um com o outro, educados, nos faz também perceber a outra pessoa além dos defeitos e erros e valorizar as qualidades acima dos defeitos. Se isso não está acontecendo, é hora de começar a usar mais as palavras para acender novamente esse comportamento positivo.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Por que Moisés não entrou na terra prometida?


Você Pergunta: Não ficou claro para mim porque Moisés não entrou na terra prometida. Só pelo fato dele bater em uma pedra Deus o puniu dessa forma tão rígida? Ou existe mais algum detalhe no texto bíblico que aponta para algo mais grave que Moisés fez? Poderia nos ajudar a entender melhor essa questão?

Caro leitor, vamos fazer juntos uma análise para entendermos claramente o que aconteceu com Moisés que não permitiu que Deus o autorizasse a entrar na tão sonhada terra prometida, sonhada por Moisés e pelo povo por mais de 40 anos enquanto andavam no deserto. Vamos entender definitivamente porque Moisés não entrou na terra prometida.

Por que Moisés não entrou na terra prometida?

(1) Vamos primeiro verificar o texto que relata a punição dada por Deus a Moisés. O povo estava mais uma vez murmurando, pois não havia água para beber (Números 20:2-5). Moisés e Arão vão para a porta do tabernáculo, onde a glória do Senhor se manifesta diante deles (Números 20: 6). Deus dá a ordem a Arão e Moisés sobre o que deveria ser feito por eles: “Toma o bordão, ajunta o povo, tu e Arão, teu irmão, e, diante dele, falai à rocha, e dará a sua água; assim lhe tirareis água da rocha e dareis a beber à congregação e aos seus animais” (Números 20:8).Conforme observamos, eles deveriam falar a uma determinada rocha para que dela saísse água.

(2) Quando vão executar a ordem de Deus, observamos que Moisés e Arão cumprem parcialmente a ordem dada, além de não a cumprirem de um modo louvável, com a humildade e mansidão exigidas por Deus: “Moisés levantou a mão e feriu a rocha duas vezes com o seu bordão, e saíram muitas águas; e bebeu a congregação e os seus animais” (Números 20:11). Ao invés de falar à rocha, Moisés bate na rocha duas vezes de forma agressiva, raivosa. A ordem de Deus para falar à rocha tinha como objetivo exaltar e glorificar o nome do Senhor e mostrar que Ele era o autor do milagre. Quando Moisés bate na rocha raivosamente chama a atenção para si e não glorifica o nome do Senhor diante do povo. Em seguida, após a rocha dar água ao povo, Moisés e Arão são advertidos por Deus: “Mas o SENHOR disse a Moisés e a Arão: Visto que não crestes em mim, para me santificardes diante dos filhos de Israel, por isso, não fareis entrar este povo na terra que lhe dei” (Números 20:12). Esse foi o motivo pelo qual Moisés não entrou na terra prometida.

domingo, 11 de setembro de 2016

Os animais têm alma? O que a Bíblia ensina sobre isso?


Você pergunta: Eu sou apaixonada por bichinhos desde de criança. E todos que têm bichinhos sabem que a nossa maior dor é quando eles morrem. Sempre me perguntei se os animais têm alma, se são como nós, mas nunca achei essa resposta na Bíblia. Você pode me ajudar a compreender essa questão?

Cara leitora, essa é realmente uma pergunta muito interessante. Quero te convidar a analisarmos juntos à luz da Bíblia aquilo que é revelado sobre se os animais têm alma.

Animais têm alma? O que a Bíblia diz?
(1) A primeira coisa que precisamos definir é o que entendemos por alma. Na Bíblia, alma e espírito são sinônimos e apontam para a parte imaterial do ser humano em todos os aspectos. É por isso que algumas vezes a Bíblia se refere, por exemplo, aos nossos sentimentos como alma (Salmos 13:2) e, em outras, usa alma para falar do nosso ser espiritual (Ezequiel 18:4). Agora que definimos o que é alma, vamos considerar em nossa análise se os animais têm alma como os seres humanos têm.

(2) Quando analisamos a criação observamos a criação dos animais em Gênesis 1:20-25. Nessa criação não existe qualquer detalhamento falando a respeito de alma. Mas nos chama a atenção que é revelado que Deus fez os animais “segundo as suas espécies”. Isso nos ajudará a entender melhor a situação daqui a pouco. Continuemos: Já na criação do ser humano, encontramos dentro do detalhamento dado por Deus, que o ser humano foi criado à imagem e semelhança de Deus (Gênesis 1:26) e também que Deus o criou com corpo e alma ou espírito (Gênesis 2:7). Aqui temos uma diferença fundamental entre animais e seres humanos.

(3) Feitas essas colocações podemos concluir algumas coisas: os animais não têm uma alma como os seres humanos têm, ou seja, uma parte imaterial imortal, sendo imagem e semelhança de Deus. O que os animais possuem é o instinto. O instinto foi dado por Deus a eles quando os criou “segundo as suas espécies”. Deus escreveu dentro deles leis naturais que cada espécie iria seguir. É por isso que cada espécie de animal age de uma forma, que algumas são selvagens enquanto outras se deixam domesticar, e outras diversas ações características de cada espécie. O instinto é o fôlego de vida do animal.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

7 motivos para a sua esposa não ser feliz no casamento


Nem sempre é fácil para o homem perceber quando a esposa está infeliz no casamento. Muitas vezes essa percepção surge apenas quando já é tarde e a tristeza dela causou sérios prejuízos ao relacionamento. Nesse momento, se torna difícil descobrir qual a razão daqueles problemas. Por isso, separamos 7 atitudes masculinas que tornam a mulher infeliz dentro de sua casa. Veja quais são:
1- Ouvidos fechados
Por hábito o homem tende a dispersar a sua atenção quando a esposa está explicando algo. Acostumado a discursos diretos, ele não consegue manter o foco quando ela quer passar uma mensagem. Isso é um erro.
“Toda vez que a mulher tem que repetir, parece que ela está falando com uma criança, parece que ela está falando com o filho dela. Ela tem que falar de novo o que ela acabou de falar”, explica a escritora Cristiane Cardoso, autora do livro “Casamento Blindado”. “Então, às vezes, você reclama que a mulher não lhe respeita, mas a forma que você age, de não dar ouvidos ao que ela fala, de não dar atenção, de não tomar iniciativas, lhe faz um homem-criança, um garoto. E ela tem que ser o adulto nessa casa. Então como é que ela vai respeitar uma criança?”
Isso mina, aos poucos, a estabilidade do casamento.
2- Falta de olhos
“Você acha que ela demora 1 hora, 2 horas para se arrumar para quê? A mulher que é casada quer chamar atenção do marido dela”, afirma Cristiane. O homem deve elogiar quando ela merece, reconhecer o esforço dela. Caso contrário, a sensação que a esposa terá é de que, mesmo tentando, ela não consegue ser bonita. Em decorrência, muitas passam a se cuidar menos e, consequentemente, a autoestima cai. Ninguém pode manter um relacionamento feliz com baixa autoestima.
3- Desatento
O escritor Renato Cardoso, autor do livro “Namoro Blindado”, separou 10 pedidos de toda esposa. Em um deles, ele escreve: “Eu gosto quando você realmente se interessa no que penso. E me diz o que pensa.” Essa atitude demonstra atenção ao cônjuge. E a falta de atenção é uma das maiores reclamações das esposas.
“O marido, normalmente, não dá atenção. Eu vejo que muitos homens não precisam de tanta atenção, mas, para a mulher, é uma necessidade. Não é um luxo, é uma necessidade”, destaca Cristiane.
Ela explica que essa atitude é uma das mais irritantes em um relacionamento.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Pokémon Go: 3 perguntas que o cristão deve responder antes de instalar


O famoso jogo, que já estava funcionando em alguns países do mundo com muito sucesso, chegou ao Brasil. O famoso Pokémon Go. Logo milhares de downloads foram feitos e o jogo virou febre também aqui no Brasil. Na mesma velocidade começaram a surgir aquelas teorias de que o jogo é do diabo, de que as formas dos bichinhos lembram monstros e monstros remetem ao demônio, que as pessoas iriam ser influenciadas pelo mal assim que instalassem o jogo, que o nome do jogo é uma menção a coisas demoníacas etc., etc. São tantas as teorias que fica até difícil de acompanhar…
Por causa disso recebi dezenas de mensagens perguntando o que eu achava disso tudo, se o crente deveria ou não instalar esse jogo, se era do diabo, etc., etc. Resolvi então compartilhar algumas perguntas que eu uso para ver se algo é ou não relevante para minha vida. Essas perguntas se aplicam muito bem à instalação de aplicativos e jogos (Não só o Pokémon Go, mas qualquer um). Vamos então refletir juntos:

3 perguntas a responder antes de instalar o Pokémon Go (Ou qualquer outro APP)

Pergunta 1 – Por que eu quero instalar Pokémon Go?

A primeira pergunta é bem simples. Você pode querer instalar e jogar porque todo mundo está jogando, porque um amigo indicou, porque viu um site dizendo que o jogo é bem legal, porque o jogo já tem mais de 50 milhões de downloads (se tanta gente baixou é porque deve ser bom?), enfim, por curiosidade mesmo, desejo de conhecer. Como não temos nada que desabone uma instalação do jogo para conhecê-lo, vá para a próxima pergunta.

Pergunta 2: Há algum problema em instalar logo o jogo?

Não, instale o jogo agora. E, em seguida, siga para a orientação bíblica dada por Paulo: “julgai todas as coisas, retende o que é bom” (1 Tessalonicenses 5:21). Isso significa que você passará por um tempo de avaliação. Fique tranquilo, o diabo não vai te aprisionar e te hipnotizar. O objetivo de “julgar” algo é avaliar (racionalmente) se aquilo contribui de maneira positiva para sua vida e mereça permanecer nela. Mas, cuidado: Não seja levado pelas emoções e pelas influências. Use a sua razão para fazer uma avaliação sincera, objetiva, afinal, Deus te deu uma mente para você usar, não é verdade?

Pergunta 3 – O que devo avaliar no Pokémon Go?

Alguns instalaram o jogo e ficaram procurando alguma mensagem subliminar do mal, ou se algum bichinho tinha chifre e se parecia com o diabo. Não procure essas coisas. O diabo não é bobo, não é nessas coisas que ele age. Ele é muito mais esperto do que isso! Você deve avaliar algumas questões muito mais importantes e sérias e que realmente impactam a vida de um servo de Deus negativamente:

a) Esse jogo está me ajudando a me afastar de Deus, me tirando o tempo e o desejo de ler a Bíblia, de orar, de buscar ao Senhor, de evangelizar, de participar da obra, da minha missão de vida? (por incrível que pareça coisas que tomam o nosso tempo negativamente têm o poder de nos levar para longe de Deus).
b) Esse jogo está me levando para longe da minha família e do convívio com meus familiares?
c) Esse jogo está me viciando, de forma que eu só penso nisso, que não vejo a hora de ter um tempo livre só para jogar?
d) As pessoas ao meu redor têm reclamado que eu não dou mais atenção a elas, que só fico no celular e isso tem prejudicado minhas relações pessoais e profissionais?
e) Estou gastando dinheiro que nem tenho, fazendo dividas só para avançar no jogo?
f) Estou correndo riscos, colocando-me em perigos enquanto estou caçando meus Pokémons? (Já vi a notícia de várias pessoas atropeladas, uma que caiu em um rio, e pelo menos 16 mortes até agora por uso incorreto do jogo). Um Pokémon vale a sua vida ou você sofrer um acidente que poderá ser grave?

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Especial "Segredos da Maçonaria" - Quais as principais teorias da conspiração envolvendo a maçonaria?


Teorias da conspiração adoram vilanizar o grupo. Confira algumas delas e julgue você mesmo 
Divindade secreta
Em uma carta de 1884, o papa Leão 13 denunciou o grupo como uma conspiração satânica contra a Igreja Católica. Cem anos depois, o jornalista Stephen Knight usou esse documento e entrevistas com maçons para alegar que eles são, sim, uma seita religiosa. Sua divindade seria Jahbulon, mistura de Jeová (o deus judaico-cristão), Baal (o deus-bode dos cananeus) e Osiris (o deus egípcio da morte)
Será mesmo?
Embora citasse os maçons, a carta papal na verdade era direcionada a todos que se opunham à ligação entre Igreja e Estado – uma tendência que, naquele momento, ganhava força no mundo todo. E, segundo maçons entrevistados por Knight, Jahbulon, que só aparece brevemente no Sagrado Arco Real, é um símbolo da aceitação a membros de diferentes religiões
 Jack, o maçom
O jornalista Stephen Knight também alegava que o serial killer Jack, o Estripador era um maçom de alto grau: Sir William Gull, médico da rainha Vitória. Seus crimes teriam sido ordenados pela cúpula maçônica para acobertar um casamento ilegítimo do Príncipe Albert Victor com a prostituta Annie Crook. Infiltrada na polícia, a maçonaria também atrapalhou as investigações
Será mesmo?
O próprio livro de Knight (que, depois, inspirou a graphic novelDo Inferno, de Alan Moore) já admite que a teoria parece fabulosa demais para ser plausível. Durante anos, outros investigadores do notório assassino de White Chapel apontaram vários “furos” nesse roteiro. O mais importante é que não há evidência alguma de que Sir William Gull era, de fato, maçom
 Delação premiada
O comerciante norte-americano William Morgan teve uma relação turbulenta com o grupo. Depois de um desentendimento na tentativa de fundar uma Loja na cidade de Batavia, em 1826, este suposto Mestre rompeu com a irmandade e prometeu revelar seus segredos em um livro. Desapareceu logo após fazer essa ameaça – supostamente, foi morto pelos maçons de Batavia
Será mesmo?
O sumiço de Morgan pode ter sido exagerado à época para semear um sentimento antimaçom com intenções políticas. Em 1828, o jornalista Thurlow Weed criou o Partido Antimaçom, em oposição ao presidente Andrew Jackson, que fazia parte da ordem. Há também quem alegue que, mesmo que Morgan tenha sido assassinado, sua morte não foi, necessariamente, a mando da ordem
;